quarta-feira, 11 de abril de 2012

PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA: UMA NOVA ÓTICA

PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA: UMA NOVA ÓTICA

Período de realização: 5 A 22 DE NOVEMBRO DE 2012.
Publico alvo: 6º,7º,8º, 9º ano Ensino Fundamental. e 1º , 2º, 3º ano  – 250 alunos envolvidos
Professores Coordenadores: Professores de Historia, Geografia, Sociologia e Filosofia.
     
Professores Colaboradores: Física, química, matemática, Biologia, Língua portuguesa, arte, inglês, Ed.fisica e coordenadores pedagógicos e monitora da sala de informática .

       JUSTIFICATIVA:
Tendo em vista a Lei 10.639/2003, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de História e cultura afro-brasileira e africana nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio para as escolas oficiais e particulares, procuramos elaborar um projeto para ser trabalhado na semana da Consciência Negra,  onde a comunidade escolar (direção, professores, alunos, pais e toda a comunidade) se sensibilizem com os conceitos que fazem parte de nosso cotidiano e que interferem nas nossas práticas na escola e fora dela, como o preconceito, discriminação racial e racismo. Os professores no processo ensino e aprendizagem trabalhem essas questões partindo do cotidiano escolar, tornando assim a escola um espaço de discussão e inclusão. Nosso grande desafio como educadores é educar para o reconhecimento do outro, do respeito às diferenças e a construção da autonomia. Esse trabalho deve ter continuidade através do currículo oficial realizado o ano todo.
      OBJETIVOS:
Ø  Sensibilizar a escola como um todo sobre os conceitos utilizados na prática escolar de preconceito, racismo e discriminação,
Ø  Discutir essas questões como racismo, preconceito e discriminação a partir das experiências cotidianas, e desconstruir essas concepções,
Ø  Reconhecer e valorizar a história e cultura afro-brasileira e africana.
Ø  Desfazer a mentalidade racista e discriminadora secular, superando o etnocentrismo europeu, reestruturando relações étnicos raciais e sociais, desalienando processos pedagógicos.
Ø  Analisar imagens estereotipadas nos livros didáticos e na mídia,
Ø  Compreender a idéia de cultura de um ponto de vista antropológico,
Ø  Compreender que a humanidade só existe na diferença,
Ø  Compreender as relações sociais e étnico raciais,
Ø  Superação da indiferença, injustiça e desqualificação com que negros e índios são tratados.
Ø  Reconhecer a impotâcia de valorizar a diversidade nas práticas de religião e religiosidade dos indivíduos e grupos sociais.
      OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Ø  Identificar e criticar práticas de humilhação social,
Ø  Construir argumentação crítica sobre as práticas sociais de discriminação e preconceito,
Ø  Identificar nas manifestações atuais de religião e religiosidade os processos históricos de sua constituição e reconhecer a liberdade nessas práticas como um direito humano fundamental,
Ø  Relacionar as manifestações de pensamento e da criação artístico-literária aos seus contextos históricos específicos,
Ø  Ler, interpretar e relacionar evidências espaciais, extrair informações relevantes de mapas temáticos,
Ø  Ler e interpretar gráficos,
Ø  Identificar e questionar práticas de racismo,
Ø  Expressar através de textos, músicas, cartazes, e outros a relevância da educação para a superação de preconceitos e desigualdades sociais,
Ø  Leitura de livros como Casa grande e senzala de Gilberto Freyre, Gente bem diferente de Ana Maria Machado, Seis pequenos contos africanos  de Raul Lody, Minha família é colorida, A África está em nós etc,  trabalho com músicas como Nas veias do Brasil de Beth Carvalho e Racismo é burrice de Gabriel Pensador, com a finalidade de análise e reflexão,
Ø  Elaborar textos, cartazes, mapas, relatórios, etc.
META
Que 100% dos alunos participem do projeto, e 70% dos alunos reconheçam a importância do tema desenvolvido.
AÇÕES
- Problematização com foco nos conceitos preconceituosos dos alunos,
- Onde você guarda o seu racismo? (youtube).
- Diálogo para discussão dos conceitos utilizados,
- Aula expositiva com utilização de mapas e textos,
- Pesquisa na internet na sala de informática, sala de leitura,
- Leitura de livros literários, letras de música – análise e interpretação,
- Vídeos sobre africanidades,
- Trabalho em grupo sobre culinária afro-brasileira, religião, dança, música, mapas étnicos, e arte africana (cartazes, murais etc),
- Palestras com pessoas influentes da comunidade e da região,
- Exposição e apresentação dos trabalhos desenvolvidos, com a participação da comunidade.
PROCEDIMENTOS

     
O projeto Consciência Negra: Uma Nova Ótica, inicia-se com os conceitos utilizados no cotidiano, para que no decorrer das discussões os alunos compreendam e interpretem diferentes formas de expressão e de organização de raciocínios e pensamentos da raiz da cultura africana, de respeito aos valores, visões de mundo e pensamentos de cada um. Apresentação do documentário Onde você guarda o seu racismo? (youtube). Para esse projeto os trabalhos acontecem em sala de aula, laboratório de informática, sala de vídeo, sala de leitura e outros ambientes.  O foco da aprendizagem além das já citadas deve contemplar a importância da África para a história da humanidade, sua diversidade e heterogeneidade culturais, sociedades, economia e política enfocada neste projeto em forma de palestra, leitura de literaturas como Casa grande e senzala de Gilberto Freyre, Gente bem diferente de Ana Maria Machado, Seis pequenos contos africanos  de Raul Lody, Minha família é colorida, A África está em nós etc,  análise e reflexão das músicas “Nas veias do Brasil” de Beth Carvalho e “Racismo é burrice” de Gabriel Pensador,  procurando construir uma imagem positiva sobre a realidade e sociedades africanas; utilização e confecção de mapas , principalmente mapas étnicos; pesquisa na internet e utilização do sitio youtube que apresenta muitos vídeos sobre africanidade e outros; uso das redes sociais para troca de informações; ênfase nas contribuições na arte das vestimentas, culinária, religião, a construção do patrimônio histórico/cultural da humanidade e trabalho com danças e músicas. Esse projeto será desenvolvido no período de 05 a 20 de novembro com exposições de cartazes,  palestras, danças e músicas e capoeira.  O conteúdo todo sobre a História da África faz parte do currículo e será tratado nas disciplinas específicas durante o ano e de acordo com as respectivas séries.
Avaliação
Os alunos serão avaliados durante todo o processo do projeto, portanto será diagnóstica e contínua, de acordo com as atitudes, interesse, procedimentos e realização das atividades em grupo e individual.
Referências Bibliográficas
LDB 9.394/96 – Lei que define as diretrizes e bases da educação nacional
LEI 10.639/03 – Lei que altera a LDB 9.394/96 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “Historia e Cultura Afro-Brasileira
PARECER CNE/CP 003 de 10/03/2004 e a RESOLUÇÃO CNE/CP 001 de 17/07/2004 – que instituíram e normatizaram as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana.
BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das relações Étnico– Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Brasília: MEC, 2005. 35p
Gomes, N. L. e Munanga, K. Para entender o Negro no Brasil de Hoje: histórias, realidades, problemas e caminhos. Coleção Viver e Aprender, Global Editora e Ação Educativa, 2004.
Munanga, K. (org) Superando o racismo na escola. Brasília: MEC, 2001
Silvério, Vater Roberto – Abramowicz, Dra. Anete – Coordenadores –UFSCar - São Paulo: Educando pela diferença para a igualdade – módulo I e II – Ensino Fundamental e Médio – 2005
http://www.mec.gov.br/
http://www.africaeafricanidades.com.br/
http://picasweb.google.com/
http://www.projetoseducacionais.com/search/label/africanidade
Lista de videos
A Autobiografia de Miss Jane Pittman (feito para TV e estrelado por Cicely Tyson, é um filme tocante. a história de uma mulher negra, que nasceu escrava em 1850 e viveu para fazer parte dos movimentos pelos direitos civis dos negros nos anos 1960. ganhou 8 prêmios Emmy
As Barreiras do Amor (Michelle Pfeiffer é uma dona de casa obcecada pelo casal Kennedy e decide, contra a vontade do marido, ir de ônibus para o funeral do presidente. no ônibus, senta-se próxima a um negro, que viaja com a filha de 5 anos. ela desconfia que o homem está sequestrando a garota e aciona a polícia, mas vê que estava errada e acaba desenvolvendo uma forte amizade com eles. um retrato do preconceito nos anos 60)
  Adivinhe Quem Vem para Jantar (um casal esclarecido de classe média americana - Spencer Tracy e Katharine Hepburn - vai conhecer o noivo da filha num jantar, quando descobrem que ele é negro - Sidney Poitier. eles ficam chocados e procuram por algo que o desabone, mas encontram uma pessoa com muitas qualidades morais e profissionais. um tanto teatral, mas com um roteiro e interpretações brilhantes)
 Á Flor da Pele (dirigido por Morgan Freeman o filme tem boas intenções em denunciar o regime do apartheid na África do Sul, através da história de um policial negro, que se orgulha de fazer parte do regime e acaba entrando em conflito com sua própria família)
A Incrível História da Mulher que Mudou de Cor  http://portacurtas.uol.com.br/
Além de trabalhador, negro. Direção: Daniel Brazil, Brasil, 1989. Sinopse: Filme didático, que apresenta a trajetória do negro brasileiro da abolição até os dias atuais.
Amistad (negros escravizados se rebelam e tomam o navio espanhol na costa de Cuba, enganados pelos tripulantes restantes, acabam capturados por um navio americano e uma batalha judicial se inicia. não é dos melhores filmes de Spielberg, mas é didático na descrição do cruel transporte de escravos
Malcolm X (biografia de um dos grandes líderes negros americanos. Denzel Washington faz Malcolm X, que teve o pai morto pela Ku Kux Klan, a mãe internada por insanidade e acabou sendo um malandro de rua. quando esteve preso, converteu-se ao islamismo e iniciou sua pregação pela igualdade racial
Mississipi em Chamas (em 1964, dois agentes do FBI vão a uma cidadezinha do Mississipi investigar os assassinatos de três militantes dos direitos civis, dois negros e um judeu. na cidade encontram um ambiente muito tenso, onde a segregação e o preconceito são a tônica
Na Rota dos Orixás. Direção: Renato Barbieri. Sinopse: O documentário apresenta a grande influência africana na religiosidade brasileira, mostra a origem das raízes da cultura jêje-nagô em terreiros de Salvador, que virou candomblé, e do Maranhão, onde a mesma influência gerou o Tambor de Minas
Onde você guarda o seu racismo – documentário – http://www.youtube.com.br/
Quanto vale ou é por quilo? Direção Sergio Bianci, Brasil, 2005. Sinopse: Filme de ficção, baseado num conto de Machado de Assis. O filme traça um paralelo entre a vida no período da escravidão e a sociedade brasileira contemporânea, focalizando as semelhanças existentes no contexto social e econômico das duas épocas. A ação se desenrola nesses dois períodos históricos, ao mesmo tempo. Ao traçar esse paralelo entre o século XIX e o tempo atual, o filme questiona até que ponto a estrutura da sociedade brasileira realmente mudou da época colonial até hoje
Quilombo . Direção Cacá Diegues. Brasil, 1984. Sinopse: num engenho de Pernambuco , por volta de 1650 , um grupo de escravos se rebela e ruma ao Quilombo dos Palmares , onde existe uma nação de ex-escravos fugidos que resiste ao cerco colonial, entre eles Ganga Zumba , um príncipe africano . Tempos depois, seu herdeiro e afilhado, Zumbi , contesta as idéias conciliatórias de Ganga Zumba e enfrenta o maior exército jamais visto na história colonial brasileira
Tempo de Matar (uma garota negra de apenas 9 anos é estuprada por dois racistas brancos. eles são presos, mas quando estão sendo levados ao tribunal, são mortos pelo pai da garota. o caso atrai atenção nacional e a cidade vira um barril de pólvora)
 Uma Outra História Americana (Edward Norton é o líder de um grupo de skinheads que mata dois negros que invadem sua casa e vai para a cadeia por 3 anos. na prisão percebe que o ódio racial que pregava só lhe traz prejuízos. quando sai, tenta desfazer sua imagem, mas suas antigas idéias ficaram impregnadas no seu grupo e no próprio irmão)
Um Grito de Liberdade (nos anos 70 na África do Sul, um jornalista branco - Kevin Kline - fica amigo de um ativista negro, Stephen Biko - vivido por Denzel Washington - que acaba morto na prisão. o jornalista então resolve divulgar o fato, as idéia de Biko e os horrores do apartheid, mas acaba virando alvo do regime e tem que fugir do país)
Vista a minha pele. Joel Zito Araújo & Dandara. Brasil, 2004. Sinopse: é uma paródia da realidade brasileira, para servir de material básico para discussão sobre racismo e preconceito em sala de aula. Nesta história invertida, os negros são a classe dominante e os brancos foram escravizados.
Kirikú e a Feiticeira – Direção: Michael Ocelot – 70 minutos. (infanto-juvenil).


Ana Virtudes Miron Soler
Elvira Ap. Ciaramícoli Aliceda
Márcia Ap. de Sousa Oliveira
Sandra Raquel Scassola Dias

Um comentário: